O Governo realizou uma série de mudanças na emissão de documentos, especialmente na digitalização do processo, o que deixou muitas transportadoras com dúvidas sobre o que é MDF-e. Com a modernização, algumas alterações são necessárias e, também, o cumprimento de novas exigências.

No post de hoje vamos explicar o que esse documento significa, além de dar dicas sobre sua emissão e falar das vantagens que ele proporciona. Boa leitura!

Entenda o que é MDF-e e para que ele serve

O Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos (MDF-e) é um documento digital criado para substituir arquivos impressos, como o Manifesto de Carga Modelo 25 e a Capa de Lote Eletrônica (CL-e).

Seu principal objetivo é reduzir a burocracia envolvida no transporte de cargas, consolidando todos os documentos em um único modelo eletrônico, que cobre toda a cadeia logística.

A validade jurídica é garantida de duas formas:

  1. obtenção de uma assinatura digital, necessária para a empresa que emite o MDF-e;
  2. obtenção da autorização de uso, fornecida pelo Ambiente Autorizador.

Saiba quais empresas têm obrigação de emitir o MDF-e

Como esse documento está ligado ao transporte de cargas, significa que ele deve ser gerado por todas as empresas que emitem o CT-e — o documento que acompanha as cargas em transporte, para fins de fiscalização.

Conheça as mudanças causadas pela criação do MDF-e

As mudanças são totalmente voltadas para o ganho de agilidade na identificação das características da carga e dos dados do transporte. Entre as principais alterações, podemos citar:

  • criação de um campo adicional, de preenchimento opcional, com o objetivo de informar o tipo de transportador que fará o serviço;
  • criação de um campo para apontar o grau de periculosidade da carga;
  • resumo das informações relacionadas ao seguro da carga (antes presente em todos CT-es);
  • criação de campos voltados para o preenchimento de informações de interesse da ANTT, como o RNTC, o Vale Pedágio e o CIOT;
  • alterações no DANFE, que incluem a remoção dos campos CIOT (do modal rodoviário) e de quantidade de NF’s (dos modais ferroviário, aéreo e aquaviário).

Descubra as vantagens que o MDF-e proporciona

A implantação da rotina de emissão de MDF-e traz diversos benefícios para as empresas e também para o Governo. Veja algumas dessas vantagens:

Redução de custos

Como os documentos passam a ser emitidos em ambiente eletrônico, o custo com o papel usado para a impressão é consideravelmente reduzido. Apenas documentos auxiliares são impressos, como o DACTE e o DAMDFE.

A redução também está ligada à economia com espaços para armazenar os arquivos, que passam a ser salvos no computador.

Processos mais simples

Outro benefício é que a padronização do modelo a ser seguido, e a emissão on-line tornam o processo mais simples e ágil. Isso aumenta a produtividade e, ao mesmo tempo, reduz a quantidade de erros durante a geração do documento.

Agilidade

A utilização do MDF-e também ajuda a agilizar o processo de fiscalização, reduzindo o tempo de retenção nos postos fiscais e o risco de que as entregas sejam realizadas com atraso.

Maior facilidade na troca de informações

A padronização das informações e a digitalização dos processos facilitam a troca de informações — principalmente entre a empresa e o Governo.

Para usufruir de todas as vantagens proporcionadas pelo MDF-e e implementá-lo corretamente, é recomendado o auxílio de um contador. 

Agora que você entendeu o que é MDF-e, curta nossa página no Facebook e nos siga no Twitter para ficar por dentro de todas as novidades!

Comments

comments