A descontinuidade dos emissores gratuitos para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) pegou muitas empresas de surpresa.

Segundo a Secretaria da Fazenda de São Paulo (SEFAZ), a partir de 1º de janeiro de 2017 o download do emissor gratuito não será mais permitido. Para empresas que têm a ferramenta instalada, caso haja mudanças ou atualizações nas regras de validação da NF-e ou de CT-e, deixarão de receber assistência e suporte, comprometendo seriamente seu uso.

A decisão é baseada num levantamento realizado pelo próprio órgão, revelando que cerca de 92% das empresas que geram NF-e utilizam outros tipos de solução, como softwares online ou programas próprios. No caso da CT-e, o percentual é ainda maior, chegando a 96,3% gerados com emissores próprios.

Mas o que fazer após o fim do emissor de CT-e e da NF-e? Vejamos algumas opções que podem ser adotadas para evitar problemas com o Fisco. Acompanhe!

Adote um software de gestão

Os emissores gratuitos de NF-e e de CT-e apenas fazem a emissão do documento fiscal, sem qualquer opção de gestão. Além disso, o programa representa retrabalho, já que os dados de cada nota deveriam ser inseridos manualmente, sem qualquer integração com outros setores da empresa.

Com a adoção de um software de gestão, é possível integrar a emissão das notas e o cadastro dos dados no controle financeiro, sem a necessidade de realizar repetidamente e manualmente registros para cada emissão.

Um software de gestão automatiza todos os processos, centraliza as informações, gera relatórios com mais precisão e, melhor, com um maior controle fiscal. Assim, todas as informações são atualizadas em tempo real, podendo ser acessadas a qualquer hora e em qualquer lugar, bastando apenas acesso à internet.

Isso significa que a empresa passará, por exemplo, a integrar informações quanto ao volume de vendas, de compras, de entregas, e no caso de aumentar o faturamento, poderá alertar automaticamente o gestor para a mudança do regime tributário adotado.

A mudança é uma oportunidade de estimular as empresas a procurar soluções mais eficientes de gestão fiscal e contábil.

Publicidade Zorte

Importante!

A escolha de um software de gestão deve ser pautada conforme as necessidades da empresa. Existem opções de sistemas que podem ser baixados diretamente no computador para emitir CT-e e NF-e, bem como softwares que rodam na nuvem e podem ser acessados de forma online a qualquer hora e em qualquer dispositivo conectado à internet.

Outro ponto importante é a possibilidade de adotar um emissor de CT-e integrado a um sistema de faturamento ou sistema de gestão, por exemplo.

Terceirize os serviços

A economia de tempo e aumento da produtividade gerada no dia a dia são algumas das vantagens ao terceirizar os serviços de emissão de CT-e e NF-e.

Sistemas online com suporte especializado agilizam todo o processo, entregando as soluções necessárias de acordo com as novas exigências.

As plataformas de gestão oferecem mais acessibilidade, organização e integração de todos os processos. Tudo isso com economia de tempo e de recursos.

Ao buscar uma solução terceirizada, a empresa não apenas resolve as questões de emissão de CT-e e NF-e como também automatiza os processos, gera relatórios precisos, otimiza o tempo e aumenta a produtividade, trazendo ganhos de eficiência operacional e melhores resultados.

Nosso post foi útil? Assine nossa newsletter e receba todos os nossos conteúdos diretamente no seu e-mail.

Comments

comments