• 20/04/2024

O armazenamento de cargas perigosas é uma atividade que demanda extrema atenção por parte dos gestores. Além de representarem riscos significativos à integridade física dos colaboradores e ao meio ambiente, a legislação exige cuidados especiais.

Portanto, é indispensável que a equipe esteja plenamente capacitada e comprometida em aplicar as táticas necessárias para garantir a segurança desse tipo de armazenamento.

Através deste conteúdo, elucidamos o conceito de cargas perigosas, destacando a importância crucial de manuseá-las com cautela. Em seguida, apresentamos as melhores práticas para armazenamento seguro dessas cargas. Aprofunde-se nesta leitura e fortaleça seus conhecimentos!

Entenda o conceito das cargas perigosas e a importância crucial de armazená-las com cuidado

Primeiramente, o profissional da logística deve compreender quais cargas são classificadas como perigosas. Trata-se de produtos de origem biológica, radiológica ou química, capazes de causar danos à saúde, segurança pública ou ao meio ambiente.

Essas cargas são diversificadas, com mais de 90 categorias e 3 mil tipos de produtos listados na Resolução n.º 5.232/16 da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT). Exemplos de categorias e produtos incluem:

  • Líquidos, como álcool, óleo diesel, gasolina, etc.
  • Sólidos inflamáveis, como enxofre.
  • Explosivos, como pólvora e nitroglicerina.
  • Gases, como cloro e amônia.
  • Materiais corrosivos, como hidróxido de sódio e ácido sulfúrico.
  • Substâncias radioativas, tóxicas e oxidantes.

O cuidado tanto no armazenamento quanto no transporte desse tipo de carga é crucial para minimizar os riscos de acidentes, derramamentos e outros problemas. Negligenciar esse aspecto pode resultar em multas e apreensões durante as fiscalizações realizadas pelas autoridades competentes. Portanto, é imprescindível que as empresas adotem medidas preventivas e rigorosas para lidar adequadamente com cargas perigosas, garantindo a segurança de todos os envolvidos e a conformidade com a legislação vigente.

Quais são as melhores práticas no armazenamento de cargas perigosas?

Diversos cuidados são necessários para que a empresa se mantenha regularizada perante a lei, enquanto outros são obrigatórios conforme a legislação vigente. Acompanhe os tópicos a seguir para garantir o armazenamento seguro de cargas perigosas.

1 – Conheça as características da carga:

É fundamental estudar todas as características da carga perigosa a ser armazenada para adequar a infraestrutura do local. O conhecimento detalhado do produto possibilita a definição de elementos importantes, como o tipo de embalagem ideal, temperatura ambiente adequada, necessidade de estabilização, vedação total, e uso de equipamentos especiais, como luvas e máscaras. Por exemplo, alguns produtos requerem armazenamento em temperaturas específicas para evitar alterações químicas, enquanto outros, como itens radioativos, exigem contêineres especiais.

2 – Faça a sinalização adequada:

Uma das ações mais cruciais para minimizar riscos é a sinalização dos produtos, embalagens, contêineres ou veículos de transporte. A sinalização apropriada permite que os funcionários identifiquem rapidamente os produtos e os manuseiem corretamente, uma vez que algumas figuras trazem instruções específicas. Essa sinalização pode ser encontrada no Manual de Fiscalização do Transporte Rodoviário Nacional e Internacional de Produtos Perigosos (TRPP) e inclui selos de identificação da conformidade do Inmetro, marcações legíveis e duráveis com informações relevantes, setas de orientação e rótulos indicativos da categoria do produto.

3 – Fique atento à documentação:

A legislação é abrangente e rigorosa no que diz respeito à documentação necessária para o transporte de cargas perigosas. Os requisitos podem variar conforme o estado onde os produtos serão transportados, mas geralmente incluem declarações detalhadas dos bens a serem transportados, documentos fiscais do produto, procedimentos de segurança em caso de acidentes durante o transporte, comprovação do Curso de Movimentação de Produtos Perigosos (MOPP) pelo motorista, licenças e autorizações específicas, tais como o Cadastro Técnico Federal de Atividade Potencialmente Poluidora (CTF-APP) fornecido pelo IBAMA, documentos de inspeção técnica veicular e o Registro Nacional de Transportadoras Rodoviárias de Cargas (RNTRC).

4 – Utilize os equipamentos adequados:

Equipamentos de proteção individual (EPIs) e coletiva (EPCs) são fundamentais para garantir a segurança dos colaboradores envolvidos no manuseio de cargas perigosas. A empresa de transporte deve fornecer e garantir o uso adequado desses equipamentos, tais como luvas de proteção, máscaras, óculos, aventais, botas, calças e perneiras, e creme protetor. Os EPIs e EPCs devem seguir as normas ABNT NBR 9735 e 10271.

5 – Qualifique a sua equipe:

Investir em treinamentos específicos para os operadores que cuidarão do armazenamento e manuseio das cargas perigosas é essencial. Os funcionários devem estar cientes dos cuidados necessários para evitar problemas durante essas atividades. Essa dica se aplica a todos os tipos de produtos perigosos, incluindo corrosivos, explosivos, peroxidáveis, inflamáveis, entre outros.

6 – Invista em tecnologia:

Utilizar a tecnologia a favor da gestão de transporte e armazenamento de mercadorias, inclusive cargas perigosas, é uma prática recomendada. Um software de gestão de armazenagem (Warehouse Management System ou WMS) pode fornecer recursos essenciais para controlar as atividades do negócio de forma eficiente, incluindo o cadastro de produtos, transportadoras e clientes, controle de estoques e mercadorias, registro de entradas e saídas, impressão de etiquetas e guias necessárias para transporte, e montagem de mapa de estufagem para conteinerização.

Ao aplicar cuidados adequados no armazenamento de cargas perigosas, a empresa pode beneficiar-se com a minimização de riscos, prevenção de problemas durante o transporte, maior controle na movimentação, identificação e redução de custos, entre outros ganhos para o negócio.