• 21/05/2024

Toda empresa precisa controlar suas operações, pois, do contrário, ela correrá o perigo de não sobreviver por muito tempo. Quando se trata de custos logísticos, a atenção deverá ser ainda maior, pois são vários os tipos de gastos que se encaixam nessa categoria.

Continue com a leitura deste artigo e aprenda a controlar, classificar e registrar os custos realizados na sua empresa, pois isso é muito importante para fins de prever e acompanhar os lucros (ou prejuízos). Vamos em frente!

Custos fixos x custos variáveis

Vamos considerar que a empresa em que você trabalha aluga um imóvel, onde funciona a firma. Quanto ela pagará de aluguel se receber R$ 100.000,00 por serviços prestados num determinado mês? E quanto desembolsará se não houver nenhum ganho no mês seguinte? O valor será o mesmo, não é isso? Pois bem: o custo fixo é assim chamado exatamente porque ele não varia em relação às atividades realizadas.

Por outro lado, imagine que o veículo de carga consuma 50 litros de combustível para fazer 10 entregas de mercadorias num certo momento. Em outro, ele entregou o dobro (20 entregas). Nesse último caso, a despesa com o transporte irá aumentar, não é verdade? Esse é um exemplo de custo variável: o valor aumenta ou diminui conforme o ritmo das operações.

Importante também é entender os gastos de consumo: material de escritório, limpeza e manutenção do prédio, cafezinho etc. Essas despesas em geral são de pequeno valor, mas poderão representar uma quantia considerável quando somadas.

Tipos de custos logísticos

Existem diversas categorias de custos, tanto fixos quanto variáveis. Acompanhe abaixo alguns deles:

  • conservação de veículos: necessários para o bom andamento da frota de caminhões e outros automóveis;
  • armazenagem: gastos para guardar as mercadorias dos clientes, em depósito próprio ou alugado;
  • transporte: valores pagos na contratação desses serviços;
  • embalagens: consumo de produtos para acondicionar mercadorias transportadas;
  • seguros: pagamentos à seguradora, visando à cobertura de eventuais prejuízos materiais (incêndio, acidentes de trânsito etc.);
  • salários: remuneração dos funcionários;
  • tributos: aquilo que você pagou ao Governo relativo a impostos, taxas e contribuições (por exemplo: imposto de renda, INSS, PIS, ICMS e muitos outros).

Como controlar os custos e despesas

Você poderá utilizar uma planilha (como a do Excel) e abrir várias colunas (cada uma para determinado custo/despesa). Crie também um campo para histórico e data de ocorrência. Não se esqueça de classificá-los em fixos e variáveis e, no final, somá-los (a cada semana ou mês, conforme sua necessidade).

Assim, você poderá visualizar as áreas em que existem maiores gastos, verificar as possibilidades de reduzi-los e, ainda, realizar previsões, de modo a antecipar os lucros da empresa.

De preferência, adquira programas de computador para agilizar essas tarefas e gerar relatórios para conferência e controle. Você encontrará facilmente esses produtos no mercado.

Percebeu a importância de conhecer bem os custos logísticos? Não é um assunto muito complicado, concorda? E agora que você já adquiriu uma noção sobre eles, compartilhe este post nas redes sociais, pois várias pessoas poderão se interessar.