Em um mercado bastante dinâmico e competitivo, o sucesso em logística e transporte de cargas tem importância cada vez mais estratégica. Os gerentes e demais profissionais responsáveis pela condução das atividades de gestão nas transportadoras precisam implementar novas práticas, baseadas em ferramentas simples, que reduzam os gastos com logística e aumentem a produtividade da empresa.

Assim, a gestão de riscos representa um desafio diário para os gerentes e demais profissionais responsáveis pelo sucesso das operações nas transportadoras. Pensando nisso, reunimos nesse artigo os principais riscos aos quais as empresas de transporte estão sujeitas e as estratégias e soluções que podem ajudar a combater esses problemas. Confira!

Imperícia, imprudência e negligencia dos colaboradores

A imperícia é o risco relacionado à inexistência ou à falta de habilidade por parte dos colaboradores para realizar as suas tarefas. No caso dos motoristas, a imperícia pode levar a acidentes, prejudicando os produtos, os veículos e, em alguns casos mais graves, a vida das pessoas. A imperícia costuma ser confundida, de maneira equivocada, com a imprudência e a negligência. Vamos entender a diferença existente entre esses riscos.

Na imprudência, o erro acontece devido à falta de uma postura cuidadosa por parte do trabalhador responsável pela tarefa. Seja porque o colaborador já realiza determinada atividade há anos ou porque quer tomar a iniciativa no ambiente de trabalho e acaba assumindo o que não sabe fazer, a imprudência ocorre por um excesso de confiança.

Já a negligência acontece quando o colaborador tem uma atitude inadequada por falta de atenção. Na maioria dos casos, o colaborador deixa de prestar atenção na tarefa que realiza por começar a fazer outras atividades indevidas ao mesmo tempo, tal como falar no celular.

Para evitar as situações de imperícia, imprudência ou negligência, as transportadoras devem dar atenção especial à seleção de pessoal e à capacitação dos colaboradores, investindo na contratação de profissionais experientes e no treinamento periódico de toda a equipe.

Ter funcionários qualificados ajudará a empresa a cuidar bem dos seus próprios equipamentos e da carga transportada.

Riscos relacionados à carga

As diferenças entre os itens transportados podem originar vários riscos para as operações em logística. Eles envolvem desde a manutenção da validade dos itens até a quantidade de caixas de um produto que podem ser empilhadas sem causar danos.

Por isso, a empresa precisa, além de capacitar seus funcionários e garantir a qualidade da frota, investir na aquisição dos materiais necessários para o transporte e armazenamento adequado da carga.

Esse investimento inclui a aquisição de tecnologia capaz de facilitar a solução de problemas quando a carga está em movimento.

Riscos das estradas

A malha viária brasileira ainda é deficiente em vários pontos, com problemas que vão desde os buracos na pista até a inexistência de sinalização adequada. Essas condições deixam os veículos mais propensos a acidentes, que podem causar avarias tanto na frota quanto nos produtos transportados, além dos danos à saúde dos colaboradores. Em outros locais, o perigo maior é a ocorrência de assaltos, que colocam igualmente em risco a carga, os veículos e os motoristas.

Para combater esses problemas, as transportadoras podem investir em tecnologias de monitoramento de cargas, podendo optar pela contratação de um seguro especializado em transporte de cargas. Adotando esses cuidados, é possível otimizar a condução de todos os processos logísticos, aumentando a competitividade da empresa e melhorando o seu desempenho no mercado.

E então, o nosso conteúdo foi útil para você? Que tal ajudar outros gerentes a resolverem os problemas da gestão de riscos? Compartilhe o artigo nas suas redes sociais!

Publicidade Zorte

Comments

comments