Definitivamente, a logística de uma transportadora não é fácil, principalmente no caso do gerente geral. É preciso lidar não só com as equipes internas, como também com as frotas e as equipes em campo. Qualquer erro cometido pode representar um prejuízo para a empresa ou um desentendimento com o cliente. Por isso, é fundamental realizar uma boa gestão de tempo, organizando cada uma das atividades.

A gestão de tempo começa com o planejamento, é claro, mas não para por aí. Hoje existem soluções que podem auxiliar nessa tarefa, inclusive tecnológicas. Além disso, é preciso monitorar todas as atividades e desenhar um fluxograma organizacional claro, para que não só o gerente compreenda cada uma das etapas do processo, como também os próprios colaboradores possam se situar. Nesse post, você vai acompanhar cada uma dessas atividades. Confira!

Tudo começa com o planejamento

O planejamento é um momento importante para definir as diretrizes de todas as atividades da empresa. É nesse momento, por exemplo, que vamos realizar o benchmarking, que nada mais é do que uma pesquisa de mercado para avaliar fórmulas adotadas por outras empresas, e verificar quais delas podem dar certo.

Além disso, também é no planejamento que são definidas as metas internas com base em uma criteriosa avaliação do mercado. Esse ponto, por sinal, será avaliado por nós, logo a seguir.

Monitorar também é planejar

Por falar em planejamento; monitorar a previsão de demanda, interna e externa, é fundamental para levantar informações importantes. Com base no histórico da empresa, é possível definir em um planejamento posterior quais são as saídas mensais, a necessidade de pessoal, as sazonalidades, entre muitas outras coisas.

O monitoramento, portanto, é fundamental para fazer uma correção de rota e se antecipar a qualquer tipo de necessidade.

Metas e objetivos devem ser reais

Ao definir metas e objetivos impossíveis, o gerente acaba se tornando a causa para todos os problemas internos ligados à gestão do tempo. Prazos pequenos, por exemplo, podem comprometer as frotas, que enfrentam diariamente uma série de contratempos.

As metas devem ser mensuráveis e possíveis, mas isso não quer dizer que não sejam desafiadoras. Basta que seja feito o planejamento, mencionado por nós anteriormente, para estabelecer objetivos assertivos.

Fluxograma na ponta do lápis

Sim. Pegue um lápis, uma folha e desenhe o fluxograma organizacional da sua empresa. Procure descobrir como funciona cada um dos processos e como as tarefas são encadeadas. É só dessa forma que é possível identificar os famosos gargalos, que nada mais são do que pontos de um processo que geram desperdício e improdutividade, entre outros.

Assim, você pode trabalhar em ações corretivas para que todas as atividades fluam com mais naturalidade, melhorando muito a gestão de tempo e a produtividade.

Publicidade Zorte

A automação é a tendência

Hoje, é praticamente impossível se manter competitivo no mercado sem apostar na automação dos processos – por sinal, a falta de sistemas internos pode ser um verdadeiro gargalo. É fundamental que você implemente um software de gestão de entrega para monitorar todas as suas equipes internas e externas.

É só dessa forma que o gerente se mantêm informado, em tempo real, de toda a situação da empresa, tomando ações muito mais rápidas e assertivas.

Gostou das nossas dicas? Então que tal compartilhar a ideia com outros profissionais?