O setor da logística exige bastante planejamento e suas operações possuem uma complexidade que deve ser observada para alcançar resultados consideráveis. Para isso, existem os sistemas TMS e WMS, que são ferramentas que otimizam as atividades e aprimoram o desempenho, principalmente em relação ao transporte de cargas.

Com o objetivo de que você possa entender as funções de cada um desses sistemas, preparamos este post para explicá-los e também mostrar as suas diferenças. Acompanhe-nos!

Os sistemas WMS e TMS

O WMS é um modelo de gestão que monitora todos os passos dos processos de guarda de produtos. Na verdade, vai muito além disso: por meio dele, receber, depositar, separar e remeter são trabalhos precisamente supervisionados, o que fornece melhor precisão ao inventário.

Além disso, ele faz o controle de localizações, aumenta a performance dos processamentos automáticos de pedidos, como também reduz custos. Isso ocorre por causa da melhora da eficiência e diminuição de desperdícios.

Já o TMS é um software que objetiva alcançar a excelência em todo o processo de distribuição, orientando toda a operação e gestão de transportes de forma integrada.

O processo é composto de várias funcionalidades, que podem ser manuseadas conforme suas necessidades. Além do mais, ferramentas comercializadas no modelo SaaS (software como serviço) certificam o reduzido investimento de capital.

Vantagens dos sistemas TMS e WMS

O sistema TMS tem as seguintes vantagens:

  • realização de cálculos dos fretes em tempo real, fazendo com que você possa escolher a melhor transportadora para cada tipo de entrega;

  • simulação de cenários para melhorar estratégias de fretes;

  • rastreamento de entregas em tempo real, como também notificações automáticas ao cliente conforme o status da entrega;

  • realiza a auditoria eletrônica de faturas das transportadoras — em relação ao CT-es e NF-es;

  • ampliação dos processos de automação da troca de informação com transportadoras e correios, com agregações transparentes ao embarcador e emissão eletrônica de romaneio, proporcionando melhora na agilidade dos processos de distribuição;

  • agendamento de entregas.

Já o sistema WMS oferece os seguintes benefícios:

  • verificação de atendimento aos pedidos recebidos;

  • administração do inventário — o que proporciona maior agilidade nos processos de conferência e melhor precisão nas informações dos produtos separados;

  • gestão de divergências e atualização automática das mercadorias armazenadas;

  • procedimentos de avaliação das reservas, como PEPS (primeiro a entrar, primeiro a sair) e FEFO (First-Expire, First Out, muito usado em negociações de perecíveis);

  • métodos de classificação de estocagem e lançamento de relatórios, como os resultantes da curva ABC;

  • índices matemáticos e estatísticos variados, como giro dos estoques, tempo de ressuprimento, lote econômico de compra, entre outros.

Diferenças entre os dois sistemas

Percebe-se que esses sistemas trabalham de forma particular, mas que podem ser usados estrategicamente se agregados. Enquanto o WMS objetiva a automatização dos meios de recebimento, armazenagem e expedição, o TMS assegura o controle total da operação de transporte — desde a expedição até a entrega ao consumidor.

Porém, é importante salientar que TMS nada tem a ver com WMS. Este centraliza-se na avaliação da estocagem e controle de localização de mercadorias armazenadas, enquanto aquele se refere à gestão de transporte.

Enfim, são várias peculiaridades que envolvem os dois sistemas, mas podem sim ser utilizados de modo integrado em benefício da logística, para garantir resultados cada vez mais aprimorados.

E aí, gostou do nosso artigo sobre os sistemas TMS e WMS? Então, que tal assinar nossa newsletter para receber conteúdos como este diretamente em sua caixa de entrada?

Comments

comments