• 21/05/2024

Quando se trata de enviar mercadorias, muitas empresas de transporte optam por contratar serviços de transportadores autônomos de cargas (TAC). Essa decisão é motivada pela economia e outros benefícios que as empresas podem desfrutar ao escolher TACs em vez de manter uma frota própria com veículos e motoristas.

Neste artigo, exploraremos a viabilidade de contratar um transportador autônomo de cargas e forneceremos orientações sobre como realizar essa contratação de forma segura e eficaz.

O que é um transportador autônomo de cargas?

O Transportador Autônomo de Cargas (TAC) é um profissional (pessoa física) que se dedica às atividades de transporte rodoviário. Ele pode ser o proprietário, coproprietário ou arrendatário de até três caminhões. Existem dois principais tipos de TAC:

  • Agregado: Este tipo de TAC possui seu próprio veículo e é responsável pela sua manutenção. Muitas vezes, ele atua de forma semelhante a um funcionário de uma transportadora, embora não seja considerado um empregado direto da empresa.
  • Independente: O transportador autônomo de cargas independente é proprietário tanto do veículo quanto do negócio. Ele tem autonomia para definir as condições de trabalho, as rotas a percorrer e presta serviços por meio de contratos de frete que ele mesmo negocia e gerencia.”

Motivos que fazem valer a pena contratar um TAC

Optar pela contratação de um transportador autônomo de cargas oferece vantagens econômicas consideráveis, já que os custos de combustível e manutenção do veículo ficam sob a responsabilidade do TAC. No entanto, é importante notar que a empresa contratante assume a responsabilidade pelos riscos relacionados à carga, como roubo e acidentes.

A seguir, destacaremos os principais benefícios dessa terceirização para que você compreenda por que ela é uma escolha vantajosa:

  • Redução de Custos: Ao contratar um TAC, os custos de frete tendem a ser mais baixos, uma vez que a empresa não precisa arcar com despesas como combustível, manutenção e salários de funcionários fixos.
  • Veículo Próprio do TAC: Um dos pontos positivos é que o transportador autônomo de cargas possui seu próprio caminhão, o que transfere a responsabilidade do veículo para ele, aliviando a carga de preocupações da transportadora.
  • Flexibilidade na Contratação: A contratação de um TAC ocorre de acordo com a demanda específica. Isso proporciona à transportadora a flexibilidade de não manter motoristas fixos durante períodos de baixa demanda, evitando custos com veículos e motoristas ociosos.
  • Variedade de Opções: No Brasil, existem mais de 500 mil motoristas autônomos que oferecem serviços de fretes com diferentes valores. Isso proporciona à empresa uma ampla gama de opções para escolher o melhor fornecedor e preço ao contratar um TAC.
  • Praticidade no Transporte de Cargas: A contratação de transportadores autônomos em situações específicas contribui para a segurança da transportadora e facilita a logística de transporte de cargas.

Como gerenciar um TAC?

É fundamental adotar medidas cautelosas na gestão de Transportadores Autônomos de Cargas (TACs), uma vez que a falta de gerenciamento adequado pode resultar em consequências indesejáveis para o negócio. Abaixo, apresentamos três dicas para aprimorar a eficiência na gestão:

Conhecimento da Legislação: É crucial estar a par das obrigações legais relacionadas à contratação de TACs. Por exemplo, a Lei do Vale-Pedágio estipula que os embarcadores devem antecipar o valor do pedágio, sob pena de multas. A Lei do CIOT exige a emissão do Código no Manifesto de Transporte e pode levar à revogação da licença do RNTRC (Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas) caso o CIOT não seja emitido. O conhecimento e cumprimento da legislação são essenciais para evitar problemas futuros.

Seleção de Parceiros Confiáveis: Escolher o motorista adequado para o frete requer cuidado e consideração. Em situações de demanda urgente, a tentação de optar pelo preço mais baixo e pelo prazo mais curto pode ser forte, mas nem sempre é a escolha mais acertada. Estabelecer relações de confiança com motoristas impacta diretamente nos resultados da operação. Embora a flexibilidade na comunicação com motoristas autônomos seja uma vantagem, é importante proceder com cautela. Felizmente, existem marketplaces no mercado que facilitam o contato com motoristas autônomos de confiança.

Investimento em Tecnologia: Para otimizar a gestão de motoristas autônomos, é essencial contar com soluções tecnológicas (www.zorte.com.br). Plataformas que automatizam e centralizam as tarefas de transporte estão ganhando destaque, pois oferecem benefícios significativos. Seja para encontrar o motorista mais adequado, emitir o CIOT e o vale-pedágio ou efetuar o pagamento eletrônico de frete, recursos tecnológicos simplificam consideravelmente as operações das transportadoras.

Como identificar os transportadores autônomos ideais para a contratação?

Para a contratação de transportadores autônomos de cargas, é crucial conduzir uma pesquisa minuciosa. Como mencionamos anteriormente, as opções são abundantes; em 2022, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) estimou a existência de mais de 500 mil TACs em todo o país.

Como alternativa, diversas plataformas online permitem que as transportadoras estabeleçam conexões diretas com uma variedade de transportadores autônomos. Isso viabiliza a comparação de preços, rotas e distâncias.

Uma dica adicional é buscar referências junto a outras transportadoras. Recomendações sólidas podem gerar excelentes resultados e economizar tempo.

Uma pesquisa de mercado também pode ser útil para identificar os motoristas autônomos mais requisitados e respeitados na região.

Alguns profissionais podem até ter páginas de site ou perfis em redes sociais, o que possibilita o contato direto via Instagram, Facebook, LinkedIn ou WhatsApp.

Ao longo deste texto, você pôde constatar que a contratação de um transportador autônomo de cargas é realmente vantajosa. Além disso, explorou estratégias para selecionar TACs com segurança, evitando erros e garantindo os resultados desejados. Por fim, enfatizamos a importância de seguir rigorosamente às exigências legais e investir em tecnologia para uma eficaz gestão dos TACs.