Para que o serviço de transporte alcance os resultados esperados, é necessário contar com veículos bem cuidados — evitando problemas que podem elevar os custos e causar atrasos. No entanto, não basta manter uma rotina de manutenções para tornar a área mais eficiente: medir a produtividade da frota também ajuda a identificar falhas e melhorias necessárias.

Apesar dessa importância, muitos gestores ainda não sabem como podem fazer esses controles e quais dados devem ser monitorados. Pensando nisso, resolvemos escrever o artigo de hoje e explicar melhor o tema. Continue com a leitura para saber mais!

Como medir a produtividade da frota, afinal?

Para medir a produtividade da frota, é preciso, primeiramente, definir quais são as métricas a serem utilizadas e quais indicadores de desempenho serão acompanhados com base nelas.

Por definição, as métricas são parâmetros usados para medir resultados e tendências de determinado processo, como, por exemplo, quando se deseja saber o gasto mensal com combustível.

Depois que isso é feito, é o momento de criar indicadores de desempenho, que ajudarão a criar uma visão sobre o funcionamento das operações. Dentre as opções, podemos citar:

  • gasto médio de combustível por veículo;
  • tempo médio de ociosidade: período que o veículo fica parado aguardando manutenção;
  • custo com manutenção: reposição de peças, mão de obra, entre outros;
  • percentual de entregas realizadas dentro do prazo;
  • incidência de multas.

Além dos indicadores, também existem outros recursos que podem ser usados para medir a produtividade da frota. São eles: 

Checklist para os veículos

O checklist é uma forma de avaliar as condições dos veículos antes da viagem. Por meio de uma inspeção rápida, torna-se possível saber se eles estão aptos, ou se surgiu algum ponto de atenção que faz com que uma manutenção seja necessária.

O acompanhamento desses dados ajuda a entender quais veículos apresentam maiores problemas e o que precisa ser feito para que eles sejam solucionados de forma permanente.

Controle de ocorrências

As ocorrências incluem os casos em que existem as chamadas “quebras”, quando os veículos apresentam problemas durante o percurso, causando atrasos nas entregas — e, claro, a insatisfação dos clientes.

Como esses resultados podem ser melhorados?

Agora que você já sabe como medir a produtividade da frota, podemos falar que não basta monitorar esses números. Também é preciso entender o que eles querem dizer e de que forma afetam o alcance dos objetivos do negócio.

Por exemplo, se um determinado veículo gera um custo muito alto com manutenções, pode ser um sinal de que é necessário trocá-lo por um mais novo — o que pode gerar um custo inicial maior, mas promove economia no longo prazo.

Sendo assim, é preciso usar esses recursos como ferramenta de análise, buscando quais são as principais causas dos problemas e quais ações devem ser tomadas para solucioná-los, além das melhorias que podem ser adotadas.

Como a tecnologia pode ajudar?

O TMS — Sistema de Gerenciamento de Transporte, em português — é uma solução que visa controlar diversos aspectos referentes à atividade de transporte em uma empresa. 

Dentre as várias funcionalidades que ele oferece, permite o controle dos custos, da rotina de manutenções, monitoramento de ocorrências e ainda permite a geração de relatórios, fundamentais para manter os indicadores atualizados. Isso faz com que essa ferramenta seja uma grande aliada de uma gestão mais eficiente.

Como se pode ver, medir a produtividade da frota é uma tarefa simples, que requer apenas a criação de controles que fornecem informações relevantes sobre os veículos e as operações. No entanto, para que possam ser realmente úteis, é preciso usá-los como base para a tomada de decisão e a elaboração de novas estratégias.

O que achou deste artigo? Quer continuar acompanhando os nossos conteúdos? Então assine a nossa newsletter e receba as novidades no seu e-mail!

Comments

comments