• 21/05/2024

Os modais de transporte são muito importantes quando falamos sobre logística e movimentação de mercadorias. É possível mesmo dizer que nenhum país pode desenvolver a sua economia sem cuidar da própria estrutura de locomoção de cargas, pois de nada adianta dispor de uma eficiente capacidade industrial e comercial, se não houver como distribuir os produtos.

Se o assunto de que estamos falando aqui é de seu interesse, continue com a leitura deste post, pois apresentaremos, com clareza, o conceito e a importância dos modais e as características de cada tipo. Anote aí:

O que são modais de transporte

Basicamente, são diversos meios ou modos usados para movimentar bens de um local para outro. Sua importância nos processos logísticos é inegável, tanto na economia interna quanto no comércio exterior (importações e exportações).

Outro ponto essencial é o impacto dos fretes nas transações comerciais, o que requer muitos investimentos no desenvolvimento e melhoria de nossos modos de transporte. Assim, é possível reduzir o custo dos produtos e torná-los mais competitivos, inclusive fora do Brasil.

Os tipos de modais

Existem cinco modalidades:

  • rodoviário (meio: estradas; veículos: caminhões, carretas);
  • aéreo (meio: espaço aéreo; veículos: aeronaves);
  • ferroviário (meio: trilhos ou superfícies de ferro; veículos: trens);
  • aquaviário (meio: mar, rios e lagos; veículos: barcos e navios);
  • dutoviário (veículos: dutos ou tubulações).

Vejamos, a seguir, as vantagens e desvantagens de cada um deles:

Rodoviário

O mais utilizado no país, é adequado para operações com mercadorias perecíveis. Além disso, é essencial para regiões que não ofereçam alternativas (o que vale para todas as demais categorias).

É vantajoso porque oferece flexibilidade (pode utilizar qualquer rodovia bem conservada e se adapta com facilidade a outros modais), rapidez e contratação descomplicada. Porém, algumas de suas desvantagens são o alto custo, sobretudo para longas distâncias, os limites de carga, os consideráveis riscos de roubo e furto e o fato de ser muito poluidor.

Aéreo

Essa modalidade possui frete de altíssimo valor, requer terminais especializados e opera com capacidade baixa. Em compensação, é vantajoso quanto ao tempo rápido de trânsito, sendo adequado para longas distâncias.

Ferroviário

As vantagens desse gênero são várias: grande eficiência no consumo de energia (menos custoso), alta capacidade operacional, segurança dos produtos transportados (pequeno risco de acidentes) e baixo índice de poluição. O único contra é a infraestrutura de malha ferroviária do país, que é insuficiente e está sucateada.

Aquaviário

Recomendado para longas distâncias e grandes volumes. Os custos do frete são considerados baixos, seja o subtipo marítimo, fluvial ou lacustre (ou seja, mares, rios e lagos). Por outro lado, oferece pouca agilidade e requer terminais específicos e gerenciamento complexo.

Dutoviário

As tubulações (dutos) permitem o transporte de um bom volume a granel, percorrendo longas distâncias. Outras vantagens desse tipo de modal são os baixos custos, a facilidade de carga e descarga e a altíssima segurança (mínima possibilidade de ocorrência de roubos e furtos). No entanto, essa opção requer elevados recursos iniciais para instalação e precisa de licença ambiental para funcionar. Oleodutos e gasodutos são exemplos desse tipo de movimentação.

E então, percebeu a importância dos modais de transporte? Entendeu por que o tema de hoje é relevante para a sua profissão? E se este conteúdo foi útil, com certeza você pode aprender ainda mais com a gente. Aproveite a visita e leia também o post sobre gestão de logística e transporte nas empresas!